Fatores de risco


Psoríase pode aumentar risco de doenças cardiovasculares



A psoríase, doença comum provocada pela inflamação da pele e caracterizada por lesões avermelhadas que descamam, acomete cerca de 3% da população mundial — nos países nórdicos a incidência é maior e atinge 5% da população. A doença é crônica, mas não é contagiosa, e pode ser controlada se diagnosticada precocemente. No entanto, por ser um processo inflamatório, as pessoas com psoríase podem desenvolver problemas cardiovasculares, como AVC (Acidente Vascular Cerebral) e infarto agudo do miocárdio.

Veja também: Saiba como identificar infarto, AVC e angina

No dia 29/10 é celebrado o Dia Mundial da Psoríase, que tem como objetivos alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e combater o preconceito associado à doença. De acordo com a dermatologista Juliana Nakano, médica do Núcleo de Psoríase do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o paciente tende a ter depressão provocada pela manifestação da doença. “As lesões na pele mexem com a autoestima dos pacientes, deixando-os deprimidos. É comum que o doente evite o convívio social”, afirma.

O núcleo oferece atendimento multidisciplinar com médicos dermatologistas e reumatologistas, psicólogos e enfermeiros, todos especializados no diagnóstico, tratamento e acompanhamento da doença. “O tratamento é essencial para o paciente manter uma qualidade de vida satisfatória. Medicamentos tópicos, associados à hidratação adequada da pele e exposição à fototerapia (procedimento pelo qual a pele é cuidadosamente exposta à luz ultravioleta) costumam manter sob controle 90% dos casos, que são classificados como manifestações leves da doença”, afirma Nakano. A médica ressalta que quanto mais cedo forem feitos o diagnóstico e o tratamento, menores são as comorbidades associadas à doença como artrite psoriásica, depressão e com complicações cardiovasculares.

Veja Também