Fatores de risco


Hipertensão mata mais de 9 milhões por ano



Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a hipertensão arterial é responsável pela morte de 9,4 milhões de pessoas por ano, em todo mundo, além de estar relacionada com 45% dos ataques do coração e 51% dos derrames cerebrais.

Os números são preocupantes, por isso a entidade elegeu a doença como tema do último Dia Mundial da Saúde, realizado anualmente em 7 de abril.

Nos últimos levantamentos divulgados pela OMS em 2008, 40% dos adultos com mais de 25 anos sofriam de hipertensão, ou seja, um bilhão de pessoas no mundo todo, enquanto em 1980 a doença afetava 600 milhões de pessoas com mais de 25 anos.

Conforme informações da organização, o primeiro passo a fim de diminuir esses índices é incentivar as pessoas a medirem a pressão arterial pelo menos uma vez ao ano. De acordo com a cardiologista Sandra Regina Arcêncio, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o ideal é que a pressão esteja em 120 por 80 mmHg, no máximo 130 por 80 mmHg. A partir de 140 por 90 mmHg, a pessoa já é considerada hipertensa.

“A hipertensão arterial pode acometer todos os vasos do corpo. Quando se tem a doença, o sangue é bombeado com uma intensidade maior, o que acaba desgastando o endotélio (revestimento) dos vasos. Com isso, as artérias sofrem lesões que ajudam a formar placas de gordura, trombos, entre outros elementos que contribuem para o entupimento dos vasos. Se isso ocorrer no coração, pode causar um infarto; no cérebro, um AVC; nos rins, insuficiência renal. Quando começam a ocorrer tais problemas, alguns hipertensos sentem tontura, dor no peito ou outros indícios, mas o problema é que grande parte não sente nenhum sintoma. Por isso, é importante investigar e sempre procurar orientação médica”, esclarece a cardiologista.

Também é importante que pessoas com pressão arterial elevada adotem medidas como reduzir o consumo de sal, ter uma dieta balanceada, abolir o cigarro e o uso excessivo de bebidas alcoólicas. “O sal retém líquido, o que acaba aumentando o volume [de sangue] e a pressão sanguínea. Então, é importante evitar alimentos ricos em sódio, como embutidos e enlatados. Além disso, recomenda-se fazer atividade física pelo menos três vezes por semana, o que ajuda também na perda de peso, outro fator ligado ao agravamento de problemas de pressão”, esclarece a médica Sandra Arcêncio.

Veja Também