Alimentação


Contra doenças cardíacas, Governo e SBC vão aferir peso dos estudantes



PESOAlunos de 128 escolas estaduais da capital e Grande São Paulo serão beneficiados com o projeto “Alimentação Saudável”, criado por uma parceria entre a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e o Governo do Estado. A iniciativa já está sendo colocada em prática e tem como objetivo mudar os hábitos alimentares de cerca de 92 mil estudantes para prevenir doenças como diabetes e hipertensão.

De acordo com Carlos Alberto Machado, diretor de Promoção da Saúde Cardiovascular da SBC, na primeira etapa do programa será promovida a capacitação dos professores, diretores e merendeiros acerca dos fatores de risco para doenças cardíacas e do preparo dos alimentos, com o intuito de evitar a oferta de frituras, gorduras e substituí-las por opções mais saudáveis, como frutas e assados. “A primeira etapa será feita por meio de videoconferências. Em um segundo momento nós também faremos a aferição do peso dos estudantes, mediremos a cintura abdominal, o nível de colesterol e a pressão arterial, para poder depois comparar e fazer análises”.

Com esses dados, a Secretaria da Educação de São Paulo e a SBC esperam conseguir dois resultados. O primeiro será uma medida de como a educação cardiovascular irá impactar a vida das crianças. A ideia é verificar se alguns meses de alimentação mais saudável refletiram em mudanças no peso e na pressão, e se os níveis de colesterol baixaram. “Com este projeto, queremos que os alunos sejam agentes de saúde, pois é mais fácil conscientizar crianças e adolescentes do que os adultos, que já estão com alguns hábitos formados. Assim, eles poderão levar para casa conhecimentos sobre alimentos saudáveis e repassar para toda a família”, afirma Machado.

O segundo resultado é um quadro estatístico que mostre qual a porcentagem dos fatores de risco presentes no grupo de crianças e adolescentes, informação vital para nortear políticas de saúde pública. “Em 2050 estima-se que haverá no Brasil 100 milhões de pessoas com mais de 50 anos. Por isso, nós temos que sair da cultura de tratar as doenças somente quando elas acontecem, e sim focar na prevenção. A SBC sai da academia e vai percorrer essas escolas para salientar a importância dos hábitos saudáveis que podem evitar diversas doenças no futuro, principalmente as do coração, destaca o diretor.

A intenção é posteriormente levar o programa para escolas da rede municipal e particular de todo Brasil. Para aprimorar a qualidade dos alimentos servidos aos estudantes, a Secretaria de Educação já vem promovendo a redução da quantidade de sódio na merenda. “Só no ano passado, o teor desse componente nos alimentos adquiridos foi reduzido de 5% para 1%, com o apoio técnico da SBC”, explica a coordenadora de Infraestrutura de Serviços Escolares, Ana Leonor Sala Alonso. Outra mudança é que, a partir de 2013, serão incluídos no cardápio da rede estadual produtos integrais, como biscoitos e flocos de milho.

Veja Também