aveiaAlém de ser um alimento com excelente valor nutricional e rico em fibras, a aveia pode ajudar a reduzir o nível de colesterol “ruim” no organismo. Taxas elevadas desse tipo de gordura podem provocar aterosclerose, doença inflamatória que leva ao estreitamento das artérias e pode culminar com um infarto.

A nutricionista Camila Leonel Mendes de Abreu explica que o efeito protetor do alimento se deve à presença da beta glucana, uma fibra alimentar que tem ação similar a de uma esponja. Desse modo, ela consegue absorver até 5% do colesterol, além de regular sua produção e eliminação na corrente sanguínea.

“Vários estudos clínicos sobre os efeitos da aveia e do farelo de aveia revelaram a redução do LDL (‘mau’ colesterol) e consequente diminuição do risco de doenças coronárias. O cereal possui de 4% a 5,5% desse tipo de fibra, o que é considerado uma boa quantidade.”

Consumo

Entidades de saúde não têm orientação específica para o consumo de aveia, mas estabelecem medidas relativas a essa categoria de alimento. A recomendação da ADA (Associação Dietética Americana) é similar à da OMS (Organização Mundial da Saúde): adultos devem ingerir de 20g a 35 g de fibras por dia. Crianças e jovens entre dois e 20 anos devem acrescentar a essa porção 5g de fibras mais a quantidade equivalente a sua idade. Por exemplo, uma criança de dez anos precisa ingerir de 35g a 50g de fibras diariamente.

Tenha como referência de medida para adultos meio copo americano de aveia por dia. “Além de todos os benefícios, a aveia ainda é um alimento que pode ser consumido de diferentes formas, adicionada em sucos, vitaminas, sopas, biscoitos, frutas e bolos. Também é possível colocá-la sobre o arroz ou outras preparações de almoço e jantar”, sugere a nutricionista.